PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO
Clique na imagem para acompanhar a situação de estados e municípios em relação à meta nacional

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Sonoros Ofícios – Cantos de trabalho


https://www.youtube.com/watch?v=e-dWypb06zA
Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho apresenta o canto como expressão musical relacionada às atividades laborais, fato social presente na cultura brasileira, tanto no ambiente rural quanto no urbano, com registros que confirmam a sua existência já no século 18. Na maioria das vezes uma prática coletiva, os cantos de trabalho podem cumprir funções diferenciadas, de acordo com as características do trabalho ao qual estão relacionados e com os determinantes culturais e sociais de cada região ou localidade. Normalmente entende-se que o papel de aliviar o desgaste físico e aumentar a produtividade é preponderante, mas também pode servir como modo de externar o lamento e a crítica. Três grupos representam formas tradicionais relacionadas a trabalhos rurais: Destaladeiras de Fumo de Arapiraca (AL); Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente (BA) e Quebradeiras de Coco Babaçu (MA); e o Grupo Ilumiara (MG), formado por músicos pesquisadores, apresenta repertório recolhido em pesquisas sobre diversas vertentes do tema.

O Sonora Brasil  realiza aproximadamente 480 concertos por ano, passando por mais de 130 cidades, a maioria distante dos grandes centros urbanos. A ação possibilita o contato com a qualidade e a diversidade da música brasileira e contribui para o conjunto de ações desenvolvidas pelo Sesc visando à formação de plateia. Para os músicos, propicia uma experiência ímpar para a difusão de seu trabalho.

O  Sonora Brasil busca despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão da música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes.

 Fontes:
Textos

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Públicos de cultura: SESC divulga dados de pesquisa sobre hábitos de cultura


http://www.sesc.com.br/portal/site/publicosdecultura
A Cultura ocupa um significativo espaço em qualquer discussão sobre a sociedade brasileira. Ela está presente nos debates sobre a formação histórica do país e nas mais diferentes abordagens da atualidade. Por vezes é responsabilizada pela diversidade de manifestações e em outros setores carece de análise.
Por seus vários significados e amplo espectro de ramificações sociais, a Cultura é um tema que desperta inúmeras hipóteses e especulações mas carece de dados objetivos, sobre o sua produção e consumo.


A pesquisa Públicos de Cultura teve como propósito produzir uma ampla investigação sobre os hábitos e práticas culturais do público brasileiro. É uma sondagem nacional sobre as escolhas, comportamento e acesso que pode alimentar as discussões sobre o tema.

Públicos de Cultura é uma pesquisa realizada pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Fundação Perseu Abramo por meio de 2 mil e quatrocentas entrevistas em 139 municípios.

Com os dados coletados em 25 estados, o Sesc e a Fundação Perseu Abramo pretendem municiar pesquisadores, produtores culturais e estudantes com um significante número de dados que permitam a reflexão e intervenção nas suas áreas de atuação.

 (...)

Fonte: Públicos de Cultura/SESC

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Projeto apoiado pela OIT leva poesia a jovens cumprindo medidas socioeducativas


A representação da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil apoia o projeto “Versos de Liberdade”, da organização Casa Poema, que promove oficinas de poesia para jovens cumprindo medidas socioeducativas em unidades de internação na Bahia.

A proposta é fortalecer o protagonismo dos jovens e auxiliá-los com novas possibilidades de viver e se relacionar através da palavra e do afeto, reduzindo o índice de situações de violência dentro e fora do ambiente escolar, segundo a Casa Poema.

A organização promove oficinas de poesia falada, tratando especificamente de temas relacionados à discriminação racial e ao preconceito, onde os beneficiários diretos do projeto têm a oportunidade de aprimorar o exercício do diálogo.

“Com esse recurso é possível aumentar a autoestima, a capacidade de expressar suas ideias e sentimentos, a utilização da palavra para resolução de conflitos e despertar o interesse pela educação formal ao ampliar os horizontes de compreensão e aprendizagem”, diz a Casa Poema em seu site.
https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=eePYTy8CuU4
 Segundo a oficial de programação da OIT, Thais Faria, o objetivo é fortalecer a comunicação de jovens para aumentar as possibilidades de inserção no mercado de trabalho. As oficinas estão ligadas a projetos de formação profissional e torna mais eficaz a aprendizagem e retorno à escola.

O Brasil tem atualmente 23.066 adolescentes cumprindo medidas socioeducativas de privação ou restrição de liberdade, de acordo com dados de 2015 do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE). A maioria pertence a famílias de baixa renda, é negra ou parda e estava fora da escola quando cometeu o ato infracional.

O projeto também é apoiado por Fundação José Silveira e Fundação da Criança e do Adolescente, e já realizou sete oficinas em unidades de internação da Bahia desde 2013.
Fontes
Texto e foto: ONU-BR
Vídeo: OIT